Bill Skarsgard Brasil não é afiliado de maneira alguma com Bill, sua família ou seus representantes. Não somos o ator e não temos o mínimo contato com o mesmo. Todo o conteúdo do site, fotos, informações, vídeos e gráficos pertence ao site, a não ser que seja informado o contrário. Site de fãs para fãs, sem fins lucrativos.
Em entrevista à Dread Central, Bill Skarsgård revela como conseguiu o papel de Pennywise e mais; confira
0 Flares 0 Flares ×

Em entrevista concedida ao site Dread Central, Bill Skarsgård conversou sobre como conseguiu o papel do personagem ‘Pennywise’ em “IT: A Coisa‘” e comentou sobre sua relação com as crianças do filme! Leia abaixo:

Você acredita que nós estamos apenas a um mês e meio da estréia de “IT: A Coisa‘” nos cinemas? Parece que estivemos esperando uma eternidade para ver essa adaptação ficar pronta e a luz no fim do túnel está finalmente visível. E desde que nós estamos muito perto de finalmente assistir a versão de Andy Muschietti nas telas brancas, alguns jornalistas importantes que foram aos estúdios fazer entrevistas adicionais, não foram permitidos a falar sobre o que eles viram.

Pennywise não é um homem, não tem humanidade nele. Qual foi a essência do personagem que você teve que agregar, o desempenho que você teve, sabendo o lado nada natural dele?
Existe este potencial backstory disso, você sabe, nós possívelmente pensamos sobre, esse foi o aspecto que Bob Gray colocou em seu Pennywise, o palhaço, que é de alguma forma baseado em uma pessoa real. Então a ‘Coisa’ tirou aquela pessoa que realmente existiu e criou seu próprio palhaço, essencialmente. Nós brincamos ao redor desse aspecto, mas para mim, esse aspecto não foi tão importante. Independentemente, se o Pennywise ou o personagem de Bob Gray realmente existiu, esse que eu estou interpretando… a ‘Coisa’ e a entidade são formadas através dos medos que as pessoas têm, nesse caso é o palhaço.

Em algum lugar do livro, diz que o palhaço, Pennywise, é a forma favorita da ‘Coisa’. A ‘Coisa’ gostar de entrar nessa forma. Então, porque ele gosta tanto dessa forma? O que ele gosta sobre isso? Todas essas coisas diferentes que eu tive que responder para mim mesmo em termos de entrar no corpo de personagem.
Mas então, eu interpretei muito… Eu queria a ‘Coisa’, a entidade ou qualquer coisa que seja, realmente tivesse um realce durante a performance. Então, tem muitas imperfeições neste palhaço, algumas coisas terrivelmente erradas com ele, o que faz ele ser quem ele é, tem uma entidade por trás dele que não é um palhaço no final e nem se parece muito com um palhaço, a entidade apenas entrou na forma de um palhaço. Então, teve alguma coisa que eu aproveitei muito e, meio que, interpretei da maneira mais bizarra e absurda o personagem, e tem falhas e coisas que não são completamente sólidas, em termos de quem o personagem é. Isso foi importante. Eu acho que isso é uma parte muito legal para se explorar nessa versão do Pennywise, foi algo que eu achei legal e interessante.

Quando nós conhecemos o Pennywise do filme dos anos 80, ele era muito estrondoso, usando coisas Victorianas e assustando crianças durante um longo tempo. Você sentiu que foi um desenvolvimento do personagem, que ele mudou no decorrer dos anos ou que ele sempre foi uma força malevolente?
Então, eu acho que Penywise nunca ficou por perto durante esse tempo, mas eu acho que a entidade, a ‘Coisa’, ficou por perto durante um longo tempo e tem uma parte do livro onde eles vêem em um flashback, uma era completamente diferente, uma época antes da existência dos homens e a ‘Coisa’ chegou a Terra, ou entrou em nossa dimensão [risos], ou qualquer coisa que você queira pensar de onde a ‘Coisa’ veio. Então, eu acho que a ‘Coisa’ comandou durante milhões e milhões de anos antes dos humanos descobrirem a América. Os nativos provavelmente tiveram a experiência de serem caçados e atormentados por essa entidade antes dos europeus.

Então, Pennywise é obviamente muito mais que uma versão moderna de algo que a ‘Coisa’ adquiriu. Então, você poderia assumir que 5,000 anos atrás a ‘Coisa’ séria algo que seria aterrorizante para as pessoas daquele tempo, talvez um espírito e coisas assim. Eu acho que nossa versão, o Penywise, é algo que teve uma inspiração de uma pessoa real, em Bob Gray ou em qualquer coisa que ele foi, e criou essa versão de um palhaço do século 19, combinando com as roupas e aparições, então ele meio que gostava dessa versão, como se essa versão estivesse presa nele. Foi assim que eu racionalizei para ver quem, ou o que Pennywise é, de onde ele veio e quem ele realmente é.
Como foi dito, a ‘Coisa’, a entidade ‘Coisa’, sempre foram os mesmos. Eu não acho que a ‘Coisa’ sofre por mudança. Parcialmente, eu acho que a história do Loser’s Club combatendo a ‘Coisa” é, em parte, a primeira vez que ela sofreu por mudanças ou coisas assim. Se você ver o filme, você irá descobrir que a mudança que acontece com Pennywise ou com a ‘Coisa’ nunca aconteceu antes.

Quando você fez sua primeira audição, quais qualidades você trouxe para sua performance e como foi o seu envolvimento depois de conseguir o papel?
Eu estava em LA e eu estava alugando uma casa em Echo Park e eu consegui essa audição para Pennywise, certo? Eu nunca estive envolvido com esse filme ou tentando fazê-lo com Cary. Will foi originalmente escalado como Pennywise, mas eu nunca estive envolvido nesse filme, eu me envolvi depois, quando o papel ficou disponível e quando soube que Andy Muschietti comandaria o filme. Eu recebi um ligação e sendo um ator, especialmente na minha idade, não tem muitos personagens performáticos ou coisas assim, em termos de estranheza, arrepiante e repugnante, em termos de todos os tipos de personagens como Pennywise é. A grande maioria das audições que eu vou são baseadas na realidade e em caras jovens, histórias de amor e essas coisas. Eu recebi duas cenas e eu poderia fazer o que eu quisesse com elas. Foi incrível ter a habilidade de interpretar um personagem que eu queria, em termos de voz, som, expressão faciais e tudo. Então, é um pouco raro conseguir uma audição de um projeto que você já está animado. Eu trabalhei muito para fazer minha versão e eu me diverti muito a fazendo. Eu acho que eu li o livro, uma, duas, três, ou até mais de quatro vezes antes de eventualmente conseguir o trabalho. O personagem mudou a profundidade da audição. Eu conversei com Andy para ser fiel ao personagem e eu comecei trabalhar antes e durante o processo de audição, brinquei com as versões das coisas que esse personagem poderia ser e então, eventualmente eu consegui o trabalho. Foi assim que o trabalho de verdade começou em termos de exploração de personagem e as diferentes maneiras de interpretá-lo.
Mas eu realmente gostei desse processo de escalação porque foi uma coisa muito divertida de se fazer, onde eu poderia muito trabalho na minha própria versão.

A primeira a imagem de Pennywise que conhecemos, gerou muitos debates, mas com o primeiro clipe divulgado, “IT” é agora o filme de terror mais esperado do ano. Quais foram seus pensamentos ao ver as reações geradas com essa imagem inicial?
Então, é estranho porque eu nem tinha começado a filmar quando a imagem foi liberada. A tática presente no estúdio foi para que tudo estivesse sobre o controle para que nenhuma imagem fosse vazada, para que ninguém secretamente tirasse uma foto minha com a roupa nos bastidores, ou qualquer outra coisa que poderia ser vazada. A ideia foi divulgar essa versão para que pudéssemos manter o controle. Mas eu fiz o ensaio fotográfico antes de começar a gravar, então eu não tinha filmado absolutamente nada ainda, a imagem foi, na verdade, liberada um dia antes de começarmos as gravações, porque meu primeiro dia de filmagem poderia ser potencialmente digno de uma foto ser vazada.
Então, isso foi estranho. Eu não gostaria que as pessoas vissem o visual antes de que construir o personagem, você sabe. Para os atores e cineastas, o projeto antes de ser divulgado/lançado, ainda é algo nosso, você sabe, no sentido de que ninguém ainda viu e ninguém tem uma opinião formada, continua sendo o trabalho que você está explorando e é legal o sentimento de que o seu trabalho ainda não se tornou público. Então, quando você termina, existe uma excitação para quando chegar a hora das pessoas verem.
Nesse caso, houve um sentimento prematuro quando as fotos foram liberadas, mas, no entanto, eu realmente tentei não ler nada sobre o que as pessoas estava debatendo. Eu não queria me engajar nisso porque eu ainda estava filmando, você sabe. A última coisa que eu necessitava era ouvir o que as pessoas estavam pensando e as ideias que elas tinham sobre o personagem que eu mal tinha começado filmar. Então, eu nunca fiquei engajado em nenhuma das coisas que as pessoas diziam sobre o aspecto do personagem, mas agora, nesse momento, estou muito animado para ver a reação das pessoas com o filme.

Como você lidou com as crianças nos estúdios? Você se juntou a elas ou manteve sua distância?
Isso foi algo que nós queríamos, eu e Andy conversamos sobre como nós deveríamos nos aproximar delas antes das gravações. Nós pensamos que a melhor ideia seria me manter completamente separado delas e então…. As crianças obviamente ficaram juntas um com as outras o tempo todo, foi a chave da participação delas no elemento do filme, a amizade e camaradagem, então, desde o momento em que eles foram para Toronto, eles fizeram excursões e exercícios em grupo, eles realmente tornaram-se amigos muito próximos, melhores amigos até fora dos estúdios, isso é incrível porque é sobre isso que o filme é, essas crianças se encontrando com as outras e se tornando amigas. Eu acho que isso é aparente no filme.

Mas para deixar garantido, eles não poderiam ser amigos de Pennywise [risos], nós nos mantivemos separados. Eu fiquei separado delas e essencialmente as únicas pessoas que eu tive contato foi com o Andy Muschietti e Bárbara, a produtora e sua irmã. Eles foram as únicas pessoas da equipe que eu passei um tempo junto depois das gravações.

Quando nos começamos gravar, as crianças já tinham começado um mês antes e eu não tive nenhuma cena com elas, então elas estavam animadas para ver o palhaço e como eu iria aparecer e todas essas coisas que eles estavam esperando. Foi meio que intensa e pesadas a primeira a cena que tivemos. Eu fiz a cena com Jack Grazer, que interpreta Eddie no filme, e foi uma cena completa, agressiva e intensa entre Pennywise e Eddie. Foi no meu primeiro dia de gravação e eu estava tentando me manter focado no personagem e quando nos estávamos ensaiando essa parte e Jack estava realmente estático.
Quando nos filmamos a cena, o primeiro take, eu tinha salvado toda minha energia para aquela cena e nós a filmamos e foi pesado! Ele estava obviamente aterrorizado na cena, chorando e tentar se afastar do Pennywise, que estava em frente de seu rosto. Então eles gritaram “CORTA!” E eu virei para Jack e perguntei, “Você está bem?” E ele respondeu, “Isso foi incrível, cara! Foi incrível para caralh*! Você estava, Wow, àwow! Eu amei o que você estava fazendo!” [Risos]. Com isso, eu fiquei feliz porque eu não estava lidando com criancinhas, mas com atores de verdade, pequenos atores, mas atores! As crianças são muito inteligentes e talentosas, chegavam com ótimas ideias para as cenas e eu acho que a necessidade de me manter separado das crianças, foi, você sabe… assim que começamos a filmar, ficou claro que aquelas crianças sabiam que eles estavam fazendo um filme que eu não era um palhaço assassino.
Me separam dos atores mirins, mas, no final do dia, eles eram ótimos profissionais. A única exceção foi Jackson, que interpreta George, que é muito mais novo que as outras crianças. Para ele, não estava claro a separação entre realidade e ficção.

‘It: A Coisa’ estreia em 07 nos cinemas.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×
Bill Skarsgard Brasil não é afiliado de maneira alguma com Bill, sua família ou seus representantes. Não somos o ator e não temos o mínimo contato com o mesmo. Todo o conteúdo do site, fotos, informações, vídeos e gráficos pertence ao site, a não ser que seja informado o contrário. Site de fãs para fãs, sem fins lucrativos.