Bill Skarsgard Brasil não é afiliado de maneira alguma com Bill, sua família ou seus representantes. Não somos o ator e não temos o mínimo contato com o mesmo. Todo o conteúdo do site, fotos, informações, vídeos e gráficos pertence ao site, a não ser que seja informado o contrário. Site de fãs para fãs, sem fins lucrativos.

Archive from 'Uncategorized'



Entrevista e ensaio fotográfico para Interview Magazine
06.06

Durante entrevista realizada pelo seu irmão mais velho, Alexander Skarsgård, Bill Skarsgård conta para a revista Interview os momentos que passou em estúdios de filmagens quando criança e revela que os atores mirins de “IT” choraram de medo ao vê-lo caracterizado de Pennywise pela primeira vez. Confira a entrevista e fotos abaixo:

Café da manhã. Durante essa refeição no Château Marmont, em Los Angeles, Bill Skarsgård recebe um pouco de palavras de sabedorias—e um pouco de bullying— de seu irmão mais velho Alexander.

Alexander Skarsgård: Você levou o lixo para fora esta amanhã?

BILL SKARSGÅRDNão. Porquê?

ALEXANDER: Bem, como seu irmão mais velho, eu deveria garantir que você fez isso. Rotinas, como levar o lixo para fora, são boas maneiras de conhecer alguém. Então, o que você fez hoje? Que horas você acordou?

BILLVocê estava na minha casa ontem à noite.

ALEXANDER: Mas eu fui embora cedo porque eu sou um jornalista responsável

BILLMas sendo o gracioso anfitrião que eu sou, eu tive que entreter meus convidados. Pessoas foram embora por volta de 1am. E eu fui para cama, então isso não foi tão tarde como eu esperava. Eu acordei às 10h. Tomei um copo de café: essa foi a primeira coisa que eu fiz esta manhã.

ALEXANDER: Como você o tomou? 

BILLPreto.

ALEXANDER: Como sua alma?

BILLComo minha alma. [Risadas] e então eu estive fazendo algumas coisas rotineiras. Eu trabalhei em uma audição que eu tenho amanhã, respondi alguns e-mails e agora eu estou aqui para esta entrevista.

ALEXANDER: Eu de repente senti que talvez isso seja um erro, como um jornalista, fraternizar na noite anterior com a pessoa que eu vou entrevistar.

BILLTudo que aconteceu na noite passada foi específico para hoje? é isso o que você estava dizendo? Você fez suas anotações..

ALEXANDER: Não era especificamente isso, mas como um jornalista sério, eu sinto que talvez eu não deveria ter feito isso.
 
BILL: Bem, você fez.

ALEXANDER: Sim, eu fiz. Mas vamos seguir em frente. Você disse 10am. Não é particularmente tarde para você. Soa um pouco tarde para mim. É uma terça-feira—merda, eu me confundi. É uma segunda-feira.

BILL: Entre às 9am e 10am é usualmente​ quando eu acordo. Eu sempre fui uma pessoa noturna. Há uma sensação de virtude acordar pela manhã começar a fazer coisas cedo, eu sempre me sinto mal por não ser esse tipo de pessoa. Mas como eu estou um pouco mais velho, eu estou completamente bem com isso. Isso é quem eu sou.

ALEXANDER: Por que você sente que você fez um monte de coisa na noite passado enquanto outras pessoas estavam dormindo?

BILLSim, ou eu apenas não gosto de manhãs. Parece que o dia dura muito para mim.

ALEXANDER: Você também acha que a vida é muito longa? Você deseja que a vida fosse um pouco mais curta?

BILL: Apenas o dia.

ALEXANDER: O que seria ideal para você, 4 horas por dia? [Risos] 

BILL: Estocolmo é um ótimo lugar para o dia ser assim, mas só no inverno.

ALEXANDER: O que você sente falta da Suécia, outras coisas além de amigos, família e tudo isso? Tem algo em específico que você sente falta enquanto está viajando?

BILL: Eu sinto falto de estar no meu país de origem, aqui, eu sempre sou um estrangeiro. América é, com certeza, construída por pessoas que não são daqui. Mas ir para casa, mesmo que seja apenas uma escala em Arlanda, o aeroporto da Suécia, eu penso: “É daqui que eu sou. Essas são as minhas pessoas”.

ALEXANDER: Isso faz com que você tenha mais orgulho da Suécia? Por casa dessa distância?

BILLNão é sobre estar orgulhoso da Suécia, é apenas um senso de pertenço. Mesmo que você tenha vivido em um país por um longo tempo, aqueles primeiros anos formativos farão parte de você para sempre, e isso é algo que você não pode trocar.

ALEXANDER: Por que você não tem uma casa?

BILL:Eu acho que é algo independente para mim. Eu tive um tempo difícil pensando nessas coisas.

ALEXANDER: O que tem de errado com a gente? Eu também sou um sem teto. Talvez seja um medo de comodismo. Tipo, se eu me estabeleço em uma cidade e consigo um lugar nela, talvez tenha alguma coisa fora dela que é do meu interesse. Mas não seria legal ter algum lugar onde você pode colocar sua mala no chão e desfazê-la?

BILL: 100 por cento. Eu tenho vivido assim pelos últimos cinco ou seis anos, então eu estou procurando um apartamento em Estocolmo. Apenas algo com dois quartos. Todo apartamento que eu olho é tão legal e de bom gosto.

ALEXANDER: Ótima arquitetura e bem feito, mas todos eles aparentam ser idênticos. Eu acho que é um tipo de suma up na mentalidade sueca. Todos aparentam ser do século passado, com a estrutura moderna, e todos eles tem aquele tapete Moroccan. Você não irá encontrar originalidade. Suecos são bem seguros nessa categoria. Então, qual é a sua primeira memória em relação a um set de filmagem quando você era uma criança e estava acampando o pai?

BILLBem, meu primeiro filme foi com você.

ALEXANDER: Oh, sim. Eu não queria dizer isso, mas eu que te coloquei nessa indústria. Eu posso te tirar dela [risos].

BILL: Eu nunca estaria aqui se não fosse pelo papel de Klasse em White Ester Fury. Eu era a única criança naquele set e eu lembro de estar chateado por algum motivo. Você lembra da história? Eu corri para fora do set ou algo do tipo?

ALEXANDER: Oh, eu lembro o que foi. A cesta de frutas no seu trailer não estava frescas o bastante. E eles colocaram Evian ao invés de Perrier, então você se transformou e chamou seu agente.

BILL: [risos] aos 9 anos de idade.

ALEXANDER: Você chamou seu agente que era um tipo de professor. Eu não lembro de você chateado, mas eu tenho uma memória vivida de quando você terminou mais cedo um dia, eles te levaram de volta para o hotel e eu fiz outra cena. Quando eu terminei, você estava sentado do lado de fora do estacionamento, esperando por mim, e isso quebrou meu coração. Era apenas nós dois. Obviamente nós viemos de uma grande família. Eu nunca senti que alguém precisava de mim. Sempre foi um caos com a mãe, pai e tios, você sabe, todos nós vivíamos no mesmo prédio. Jantares com 25 pessoas todas a noites, você e eu sempre fomos próximos, e de repente eu não era apenas o irmão mais velho. Eu me senti paternal. Você estava apenas naquele estacionamento esperando seu irmão mais velho para ir para casa, porque você não conhecia ninguém e não sabia o que fazer. Meu senso de memória me leva para a visão de estar virando a esquina e ver você parado lá, aquele pequeno garoto naquele imenso estacionamento. É lindo e de partir o coração. Foi a primeira vez que eu me senti importante.

BILLEssa é uma história adorável.

ALEXANDER:  Nos viemos de uma família de músicos, autores, pessoas criativas e a única exceção é nossa mãe e um de nossos irmãos serem médicos. Com qual frequência​ você comenta sobre eles durante os jantares?

BILL: definitivamente, tenho uma sensação de vergonha sobre o que os artistas realmente fazem, pelo menos para mim, em termos de atuação. Nós temos uma mãe e um irmão que literalmente salvam vidas.

ALEXANDER: Ele trabalha em um ICU*, então ele diariamente salva vidas. Você já pensou que ele trabalha duro diariamente e faz menos dinheiro do que você?

BILLSim, claro. . Eu estou constantemente envergonhado com o nível de atenção que os atores tem e o nível de dinheiro que nós ganhamos. Eu acho que você tem que se sentir culpado sobre isso. Eu acho que isso nos torna uma pessoa melhor quando nós lembramos disso.

ALEXANDER: Você se tornar um ator foi a derrota de uma resistência ou foi um chamado?

BILLAgradeço a você por me abençoar com o papel de Klasse em White Water Fury.

ALEXANDER: De nada. Você deveria querer se lembrar disso com mais frequência, mas eu aprecio isso.

BILLEu comecei atuar quando eu tinha 9 anos. Eu fiz pequenas atuações aqui e ali quando eu era criança, e então quando eu fiquei mais velho eu comecei a resistir isso, porque eu não gostava da ideia de ser, ao mesmo tempo, o número 4 de atores Skarsgård—o pai, você, e nosso irmão Gustaf. Então eu estava no ensino médio e me especializei em ciência e eu fiquei: “talvez eu deva fazer algo rebelde e me tornar um ator.” [Risos]

ALEXANDER: Sério que você se entretinha com essa ideia?

BILLEu não acho que eu me tornaria um doutor, mas o motivo de eu ter realizado especialização em ciência foi porque eu poderia me tornar um engenheiro civil, um biólogo, um cientista da computação— isso foi o ponto. Eu não tinha ideia do que eu queria fazer. Nos meus dois últimos anos no ensino médio eles continuaram me chamando para audições e para ler alguns roteiros e eu comecei a apreciar. Um em particular que eu li, eu fiquei: “oh, isso é um personagem real. Isso é incrível. Eu realmente quero fazer ele”. O roteiro era para o filme de Hannes Holm, eu o vi uma vez em uma premiere— na época eu tinha 19 anos e eu tive provavelmente três ou quatro audições, mas eu foi escalado para nenhum projeto— eu cumprimentei ele e falei: “eu não sei o que eu preciso fazer, mas eu necessito estar em um dos seus filmes”. Eventualmente, eu consegui o trabalho e foi quando eu me senti superestimado por outras pessoas pela primeira vez.

ALEXANDER: Você acredita que você você um bom ator? Você acha que você merece estar aqui por causa do seu talento?

BILL100 por cento

ALEXANDER: Você já se sentiu um lixo de ator?

BILL100 por cento. Eu me sinto o melhor ator do mundo e eu também sinto que sou uma fraude.

ALEXANDER: Simultâneamente?

BILLSão sentimentos simultâneos. Eu acho que arrogância vem através da insegurança. Confiança vem em um senso mais enraizado. Parte de ser confiante é estar capacitado em dizer, “Eu posso realmente ser um merda”, e aceitar isso.

ALEXANDER: Então, o trailer oficial de “It” foi visto mais de 197 milhões de vezes. O trailer tornou-se o vídeo com mais visualizações em um único dia. Por que? Nós apenas sentimos muito medo de palhaços?

BILL: Eu acho que é algo enorme para a geração mais antiga. Você lembra do original?

ALEXANDER: Eu nunca assisti o original.

BILL: Mas as pessoas falaram sobre o filme na escola?

ALEXANDER: Sim.

BILLEu lembro de “It” sendo a coisa mais assustadora que poderia existir para uma criança. Havia outros filmes de terror, como Sexta-feira 13 ou Halloween​, mas no nível de aterrorizar uma criança era o palhaço. Tantas pessoas dizem que o filme destruiu a infância delas ou que passaram a odiar palhaços depois disso. Esperançosamente, terá muitas crianças de 10 anos de idade que ficarão traumatizados para sempre com a minha performance. [Risos]

ALEXANDER: É para maiores?

BILL: Provavelmente será.

ALEXANDER: Então essas crianças de 10 anos de idade não poderão assistir.

BILL: Bem, não, mas—

ALEXANDER: Eles ficarão traumatizados com o poster.

BILLMas não da mesma maneira. Os filmes que eles não estão permitidos a assistir são os filmes que eles irão realmente​ querer assitir.

ALEXANDER: Você se sente bem sabendo que crianças ao redor do mundo terão pesadelos por sua causa durante décadas?

BILL: É realmente algo estranho. “Se eu fizer sucesso fazendo o que eu estou tentando fazer com esse personagem​, eu irei traumatizar crianças”. No estúdio, eu não era muito amigável. Eu tentei manter algumas bizarrices do personagem. Na minha primeira aparição, as crianças chegaram e nenhuma delas haviam me visto ainda. Seus pais os trouxeram para o estúdio e eu apareci como Pennywise, e eu vi a reação que todas aquelas crianças tiveram. Algumas ficaram intrigadas, algumas não conseguiam olhar para mim e outras tremiam. Teve uma que começou a chorar. Ele começou chorar e o diretor gritou: “Ação!” E quando eles diziam “ação” eu tornava completamente o personagem. Então, outras crianças começaram a ficar horrorizadas e começaram a chorar no meio da gravação e eu percebi o quão assustador eu estava e pensei: “Puta merda, o que eu estou fazendo? O que é isso? Isso é horrivel”

AlEXANDER: Qual foi sua primeira interação com as crianças quando você percebeu o quão terrível você seria para eles?

BILL: Sim. Mas quando nós terminávamos a cena, eu obviamente ficava “Ei, me desculpe. Tudo isso foi encenado”. [Risos]

ALEXANDER: Última questão: Você ligou para a mãe hoje?

BILLUm, eu não liguei para ela hoje não.

ALEXANDER: Não? Ligue para a mãe.

Clique nas miniaturas abaixo para visualizar mais fotos em nossa galeria:

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > INTERVIEW MAGAZINE – JUN 2017

  • 5~119.jpg  5~119.jpg
FOTOS: Bill Skarsgård no Met Gala 2017
05.02

Quando menos se espera, BOOM! Uma surpresa!

Na noite passada (01/05), Bill compareceu ao Met Gala 2017! O evento ocorreu em Nova York e ele acompanhava seu irmão, Alexander Skarsgård. Infelizmente não teve muitas fotos e nem vídeos de Bill (para a nossa tristeza), mas temos algumas imagens para mostrar para vocês. Confira as miniaturas abaixo e clique nas imagens para visualizá-la em nossa galeria:
DEIXANDO SEU HOTEL E A CAMINHO DO MET GALA 2017

5~119.jpg 5~119.jpg 5~119.jpg

FOTOS DE FÃS | FANPICS > 2017 > COM FÃS NO MET GALA 2017

5~119.jpg 5~119.jpg 5~119.jpg

APARIÇÕES & EVENTOS | APPEARANCES & EVENTS > NO MET GALA 2017

5~119.jpg 5~119.jpg 5~119.jpg

 

FOTOS:  Bill Skarsgård posa com fãs na Wrap Party de Convergente – Parte 1
08.28

No último dia 15, Bill Skarsgård compareceu a festa de comemoração ao encerramento das gravações de “A Saga Divergente: Convergente Parte 1”. Alguns fãs sortudos tiveram a oportunidade de tirar fotos com o ator, vejam:

5~119.jpg 5~119.jpg 5~119.jpg 5~119.jpg

Bill Skarsgard Brasil não é afiliado de maneira alguma com Bill, sua família ou seus representantes. Não somos o ator e não temos o mínimo contato com o mesmo. Todo o conteúdo do site, fotos, informações, vídeos e gráficos pertence ao site, a não ser que seja informado o contrário. Site de fãs para fãs, sem fins lucrativos.